SISTEMA ATHENAS: Defensoria busca formas de modernizar a infraestrutura de TI

O sistema visa tirar a sobrecarga de trabalho e garantir dados interligados 

O Comitê Gestor de Tecnologia da Informação da Defensoria Pública do Estado esteve reunido, na terça-feira, dia 06,  com a Administração Superior para discutir o cronograma de implantação do Sistema Athenas, como também o módulo e-social na Instituição. Essas boas práticas administrativas facilitarão o trabalho junto à população assistida, bem como tornar-se referência a outras Defensorias.

Agilidade processual, confiabilidade de dados, transparência, o fluxo administrativo, a praticidade são alguns dos benefícios que o sistema irá trazer para a Defensoria. A automatização dentro do órgão visa tirar a sobrecarga de trabalho e obter os dados mais interligados e com mais confiabilidade.

O Athenas é um sistema multitarefa que tem vários módulos, incluindo o módulo de recursos humanos, administrativos, de patrimônio, de depreciação, entre outros.

“Nesta fase inicial de implementação do Athenas, a Defensoria está tratando exclusivamente o módulo de RH, referente a folha de pagamento, férias, diárias, substituições. Tudo aquilo que envolve a gestão de pessoas”, comentou a diretora do RH, Eunice Almeida.  

 “A DPE está com uma demanda retraída de construção de sistema que está paralisada por falta de ter analista para desenvolver. Tentamos conversar para ver como nós continuaríamos a linha de produção do Athenas, mas de uma forma que os analistas deem continuidade nos sistemas que estão paralisados”, comenta defensor público-geral, Stélio Dener.

Na reunião, foi feito um acordo com o RH, para a execução do sistema Athenas que ainda está em fase de conclusão, sendo alguns módulos a serem habilitados e alguns interrelacionamentos do módulo de RH.

“Com o Athenas, a DPE terá uma integração com outros sistemas já utilizados na Defensoria. Esses sistemas irão se relacionar e serão independentes, sem precisar de uma pessoa alimentando, pois será automatizado”, ressalta o diretor de TI, Ricardo Nattrodt.

OUTRAS DEMANDAS: O aplicativo e-defensor terá a facilidade para os assistidos acompanhar o andamento do processo, além de fazer o cadastro inicial no próprio aplicativo. Ainda diante disso, a Defensoria pretende instalar um botão do pânico, que em situação de emergência, a Polícia Militar deverá er acionada.

ASCOM DPE (95) 3623-1615

Top
×
POP UP