DESCOMPLICA Alunos recebem certificados de mediadores e promovedores da paz

Projeto Descomplica é desenvolvido por técnicos da Defensoria Pública

Mais de 30 alunos da Escola Estadual Caranã receberam nessa sexta-feira, 26, certificados de promovedores da paz e mediadores de conflitos. Foram três dias consecutivos de aula abordando sobre a cultura de paz, com a equipe do Centro de Atendimento Multidisciplinar (CAM) da Defensoria Pública do Estado (DPE).

O projeto da DPE intitulado ‘Descomplica’, estimula a mediação de conflitos na escola, apresentando métodos e técnicas restaurativas a fim de resolução pacífica, pautados no estímulo da cultura de paz. O trabalho possui três eixos norteador: mediação, conciliação e arbitragem.

A aluna Claudiane Oliveira, 12, está entre os alunos que participaram do projeto. Segundo ela, vai colocar em prática tudo o que aprendeu nas dinâmicas. “Achei bem interessante e legal as atividades. Vou colocar em prática o que aprendi aqui e ensinar outras pessoas”, disse.

Para a colega do 7° ano Eduarda Moreira, 13, a oficina ajudou a mudar hábitos violentos que tinha antes. “O projeto me ajudou a lidar com a minha raiva. Eu era muito ‘briguenta’, agora sei o valor de ouvir a outra pessoa. Os professores me ajudaram a lidar melhor com a minha raiva”, confidenciou.

Outro estimulado pelo o que aprendeu foi Vinícius André Nascimento, líder da turma do 8º ano. “Achei bacana, porque explicou de maneira fácil como resolver os conflitos em sala de aula”. “Vou levar para a minha vida o que eu aprendi, pois tudo na vida tem solução, e não existe vida sem conflitos. O que importa é o respeito entre as pessoas”, filosofou.

A defensora pública, Elceni Diogo explica os objetivos do projeto. “O objetivo é de identificar possíveis conflitos presentes na rotina e cultura escolar, passíveis de intervenção com métodos de resolução de conflitos não adversárias, apresentar as técnicas de mediação, conciliação e arbitragem como métodos de resolução de conflito, estimular a qualidade das comunicações e promover atitudes de compreensão, tolerância e respeito no ambiente escolar”, pontuou.

“É um projeto que vai às escolas falar de mediação de conflitos com os alunos. O CAM fornece ferramentas lúdicas para que eles saibam como lidar com essas situações que fazem parte do dia-a-dia escolar”, explicou o defensor público-geral, Stélio Dener.  

Conforme Elceni, após avaliação da atuação do projeto piloto, ano passado, o trabalho volta com força total e pronto para atender pelo menos uma escola por mês. “Os detalhes ainda serão acertados com a gestão da Secretaria Estadual de Educação”, esclareceu.

São três dias de oficina e ao final, os alunos recebem certificados de participação. Durante a aprendizagem, os alunos terão visualização de casos, atividade de produção artísticas para atribuir um feedback do que ficou entendido na cultura de paz e mediação de conflitos.

 

ASCOM (DPE)

Top
×