PAMC: Reeducandos da Penitenciária são atendidos pela Defensoria

Ação continua nesta quinta-feira, 24; a meta é atender todos os presos  

Após intervenção federal no Sistema Prisional de Roraima, a Defensoria Pública do Estado (DPE) retomou na manhã desta quarta-feira, 23, os atendimentos regulares na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (PAMC) para os presos sentenciados (os que cumprem pena) e preventivados (presos sem condenação). Os atendimentos seguem até amanhã, 24, e seguirá até que toda a população privada de liberdade seja atendida.

Os primeiros a serem atendidos serão os reeducandos com envolvimento no tráfico de entorpecentes e organização criminosa. Serão analisadas as fichas criminais, andamento do processo, esclarecimentos de dúvidas, entre outras situações.

Nesta quinta-feira, 24, os atendimentos dos preventivados seguem com a defensora Aline Dionísio, Aline Pereira e o defensor José Roseliton. Até o presente momento 1.407 presos estão na PAMC. Desse número total, 981 processos estão relacionados a tráfico de drogas e facções criminosas.

Um dos detentos atendidos pela DPE, T.P.P.N, de 22 anos de idade, que não quis se identificar, está há 1 ano recluso. Segundo ele, o trabalho da DPE auxilia nas informações sobre o processo e, também, em informar o dia das audiências.  “Essa ajuda do Estado é essencial para nós, porque aqui não ficamos por dentro do que acontece em relação ao nosso processo e audiências. Além disso, é um trabalho sem custo para nossa família. E, sobretudo, um meio de sairmos mais rápido daqui”, ressaltou.

Outro detento que também passou por atendimento foi T.D.C.L, de 20 anos de idade, que é reincidente, está recluso há 4 meses. “Nós temos um atendimento digno, somos ouvidos e ficamos sabendo como está a nossa situação perante a Lei”, destacou o reeducando sobre o trabalho da DPE.

A defensora pública, Aline Dionísio, titular atuante da DPE junto à Vara do Tráfico e Organização Criminosa, presta o atendimento hoje e amanhã para os preventivados. “É essencial prestarmos um serviço de qualidade para os detentos, ouvindo cada um e buscando promover melhorias e soluções. Primando sempre pela correta aplicação da Lei”, argumentou.   

O coordenador institucional da força-tarefa de intervenção, Maycon Rottava, destacou a importância da participação da DPE junto a Penitenciária. “Através da Defensoria oferecermos os direitos necessários aos internos além de  toda a assistência jurídica. É de suma importância que os detentos tenham os seus direitos assegurados”, citou.

Na oportunidade, Rottava mencionou que durante a intervenção federal foram realizadas diversas ações de melhorias no sistema prisional, entre elas, a realização de mais de 5 mil atendimentos em saúde, exames hepatite B, C, Sífilis e HIV. Além disso, os detentos dispõem de serviços psiquiátricos, psicológicos e odontológicos.

 

 

ASCOM (095) 3623-1615

Top