NA DEFENSORIA: Mutirão pretende desafogar demanda reprimida na área de Família

A meta é atender mais de 250 assistidos nos dias 07 a 10 de maio

O Centro de Apoio Operacional Cível, da Defensoria Pública do Estado (DPE), promove o primeiro mutirão do ano, com a pretensão de desafogar a demanda reprimida na área de família. A ação tem início nessa segunda-feira, dia 07, e seguirá até dia 10, quinta-feira, no auditório da DPE, das 14h às 18h.

A iniciativa visa atender os assistidos agendados, muitos deles, para mais de 90 dias. A equipe de atendimento passou por um treinamento na manhã desta sexta-feira, 04. Os beneficiados com a ação já foram previamente informados, via telefone, do dia, a hora e os documentos necessários para serem apresentados.

O mutirão cível terá a participação das equipes de todos os gabinetes de defensores públicos atuantes junto às Varas de Família da Comarca de Boa Vista, além de defensores públicos com atuação em outras áreas. Também membros do Centro de Atendimento e Peticionamento Inicial (CAPI) e da Defensoria Itinerante.

A meta será atender 70 pessoas por dia, totalizando 280 assistidos atendidos. Todas essas ações são para atender as pessoas que procuraram a Defensoria Pública a fim de buscarem atendimento junto ao juizado de família da capital. De acordo com a coordenadora do mutirão, defensora Christianne Leite, com essa ação será possível dar celeridade aos atendimentos iniciais, bem como redução de cerca de 90 dias de espera. “A proposta é reduzir a demanda espontânea e se for possível, já fazer o peticionamento na hora”, explicou.

O mutirão vai ocorrer fora do expediente normal, na parte da tarde, para que os atendimentos ao público pela manhã não seja prejudicado. No período vespertino, o atendimento será apenas para os assistidos avisados previamente por telefone. “Pedimos para que as pessoas que terão as suas demandas analisadas nos dias do mutirão possam contribuir conosco, comparecendo realmente à Defensoria, pois só assim conseguiremos alcançar a meta, que é diminuir a fila de espera”, recomendou Christianne.

Todas as ações em direito de Família serão atendidas. “Por mais que o peticionamento não venha ser possível fazer no dia, o assistido será reagendado para uma data mais próxima, além de ficar sabendo quem procederá o novo atendimento, muitas vezes, pode não ser o mesmo defensor do primeiro atendimento”, comentou.

DOCUMENTOS – Para o êxito no atendimento, o assistido precisa levar todos os documentos necessários ao ajuizamento da ação: a carteira de identidade, CPF, comprovante de residência, certidão de nascimento dos filhos, certidão de casamento, contracheque e outros documentos importantes referentes ao assunto tratado.

ASCOM DPE (095) 3623-1615

Top
×